segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Hoje me deu uma vontade louca de vir escrever aqui (ainda tenho esperanças de voltar a postar com frequência, sério). Tenho estado pensativa e nostálgica. De algum tempo pra cá só me vejo piorar e piorar. É recaída atrás de recaída, que vão se acumulando e me arrastando de volta à velha e bem conhecida estaca zero de sempre. Parece que não importa o que eu faça, seja, saiba, sempre vou me sentir miserável, feia, gorda, burra, inútil. E o que mais me incomoda no mundo, e aparentemente é o que me impede de ser feliz e de estar bem, é essa coisa de miserabilidade e inferioridade martelando O TEMPO TODO na minha cabeça. Cada vez fico mais deprimida por não ser suficientemente boa. É horrível sentir as pessoas me olhando como se meu rosto estivesse monstruosamente deformado. Só quero um pouco de conforto com meus atributos estéticos.
Fiquei numa deprê master com essa molecada nas fotos de perfil do facebook. Nada me deixa mais triste do que ver fotos, ou lembrar no geral da minha infância. É estranho, porque minha infância foi incrivelmente boa. Às vezes vem uns flashes de momentos, de coisas que senti em determinados momentos, e isso acaba comigo, porque muita coisa (de ruim) que sinto agora, eu já senti antes. Um pouco deve ser saudade, e outro pouco, culpa pelo que me tornei. Quando vejo minhas fotos pequena, fico olhando para meus braços lisinhos, onde, agora, tem cicatrizes. Eternas. Por deus, como pude ser capaz de fazer tudo o que fiz comigo? Como pude ser tão cruel com aquela menininha cheia de vida, de talentos, de disposição? Nunca vou me perdoar. Não era isso que eu gostaria de ter me tornado.

6 comentários:

Bella disse...

Caraca. Chorei...

Tyna Olsen disse...

Que poste lindo flor :( e muito triste ao mesmo tempo..
Olha estou a seguir seu blog, gostei muito dele
Boa sorte flor *-*
my-s-w-e-e-t-daily-life.blogspot.com.br

Marcy! disse...

Sinto o mesmo sabe.
Em parte fui ferida por algumas pessoas, atacada, abusada, mas eu deveria ter me reerguido. Mas preferi ficar deitada no chão...
Ainda dá tempo? Bem, tu é mais nova que eu, eu acho que dá tempo, pra nós. Uma amiga de trinta e poucos anos me disse que nunca é tarde... tomara.

Lovely disse...

Oi Darkness!
Seu comentário me deixou tão feliz ^^ Obrigada mesmo. Às vezes tenho até medo de postar... Acho que é insegurança, sabe? E aí, quando alguém aparece e me diz coisas tão boas, eu ganho o dia.

Nem fale. Eu penso a mesma coisa. Toda vez que eu vejo uma foto minha bem antiga, que tem num porta retrato aqui em casa, penso: "o que eu fiz com essa menina?". Também fico imaginando o que provocou essa mudança tão drástica.

Quanto a essa sensação de inferioridade. A situação aqui não é diferente e compreendo que por mais que eu te diga que te acho incrível, compreensiva, querida, engraçada... Você não vai acreditar (mas é!). Realmente essa é uma questão muito complexa.

Ficarei muito contente se voltar a postar :D
Beijinhos e melhoras!

Brittany disse...

Ola, eu visito seu blog dês de quando eu não tinha um, na verdade eu já tive outros blogs,mas sempre mudando...
Volte a escrever sim, ajuda baste, é uma forma de purgar saudável.
Fica bem, beijo

Marilia disse...

Olá meninas,
meu nome é Marilia, e estou aqui para pedir a ajuda de vocês.
Estou fazendo um trabalho sobre anorexia, e precisava fazer algumas perguntas para ( vocês) que entendem sobre assunto. Seria de grande contribuição. :)
Não se preocupem, pois não precisam se identificar, tudo será de forma anônima..
Agradeço desde já pela atenção.

Quem puder contribuir, meu email é:

liliafonseca5@ig.com.br

Se tiverem dúvidas, sintam-se a vontade para perguntar.