sábado, 27 de fevereiro de 2010

At least not today

Eu estou bem - no momento.
O N. veio aqui hoje, e lemos um livrinho muito divertido (Por que os homens mentem e as mulheres choram?) sobre curiosidades de homens e mulheres. MUITAS risadas, indiretas, comentários... mais risadas. Meu deus, como eu finjo bem! Quem me vê assim, nem deve imaginar o quanto choro a noite, e que, às vezes, preciso me cortar para conseguir dormir em paz - "Em paz".
Na terça não estava conseguindo dormir. Levantei, procurei por remédios, mas não tinha mais. Então peguei a lâmina, sentei num canto do quarto, e cortei. Fiz um, dois... no terceiro, exagerei. Vi abrir uma 'boca' no meu pulso, e o sangue quente desceu pela minha mão. Não senti dor. Ver o sangue sair daquela forma já era de um certo alívio... o problema foi que ele não queria parar de sair. Sujei todo o quarto e o banheiro de sangue, e também o caminho do meu quarto até a cozinha para pegar gelo. Não sei se era maior o medo de ser pega naquela situação, ou o medo de sangrar até morrer e deixar tantas coisas pendentes. Mas agora, tudo ok. O corte fechou, aparentemente, e só ganhei mais uma cicatriz que, futuramente, meus filhos irão perguntar onde a fiz... e então, eu direi alguma mentira, como sempre.
Tenho pensado no futuro utimamente. Há dois ou três anos atrás eu me recusava a pensar nele, pois tinha certeza de que não sobreviveria. Mas agora, o vejo como uma possibilidade. Uma possibilidade tão possivel de haver, como de não haver. E se existir, quero fazer o melhor.
Minha professora de biologia fez uma brincadeira de 'viagem ao futuro' com a gente essa semana. Ela entregou fichas para a sala, que simbolizavam testes de gravidez, positivos e negativos. O meu era negativo. E a partir disso, tinhamos que imaginar como seria nosso futuro. Ela lia um texto, perguntava onde estavamos, o que faziamos, com quem estavamos, e dizia quantos anos já tinham se passado. No final de tudo, 10 anos depois, me vi trabalhando com algo importante, morando em uma casa linda, dirigindo um carro legal... e, todos os dias, acordava numa cama de casal sem ninguém ao meu lado. Não tinha ninguém mais na casa, nem um animal, nem marido, nem filhos, nem uma empregada sequer. Dentro dos meus armários tinham cream crackers, gelatinas, tridents, sopas de saquinho, essas coisas. O vazio era tão intenso e real, que depois que acabou a brincadeira me deu MUITA vontade de chorar. Eu realmente vi como vai ser meu futuro se eu deixar tudo como está. E eu não quero isso. Eu preciso resolver essas 'pendências' comigo mesma AGORA, senão terei problemas. Evito pensar no futuro por isso, me deprime. Se com filho, me vejo dando comida a ele, comendo também... e depois disso vou ao banheiro e vomito tudo. Conseguem imaginar como deve ser doloroso viver assim? É tudo tão... 'MEU DEUS, a que ponto chegamos!', que o nó na garganta parece sufocar.
Ninguém quer continuar nessa para sempre, e eu não sou exceção. Não sei se já atingi o meu auge, o meu 'fundo de poço'... às vezes penso que já estive muito pior que agora. Outras vezes, penso que o pior ainda está por vir, e que depois que esse 'pior' acabar, vou ter um pouco de paz de espírito. Ou então que não tem mais saída nenhuma para mim, e que deus está desperdiçando meu tempo me mantendo viva se vou acabar em nada no fim das contas.
Mas, não há como saber agora. Só conseguirei respostas depois que tudo tiver chegado ao fim.
.

I tried to talk with God to no avail
Called him up in-and-out of nowhere
Said "If you won't save me, please, don't waste my time"

[Oasis - Falling Down]

12 comentários:

Pucca disse...

Garota, estou tentando imagina voce escrevendo esse texto. Realmente me aparece muito dificil, e é. Queria ajuda-la de alguma forma, mas infelizmente tenho momentos assim e nem sei o que fazer. Cortes e mais cortes, nao doi no fisico, mas doi na alma. Sabemos disso.
Se cuida Querida, precisado estou aqui.

Cinderela disse...

Eh, as vezes tambem penso no meu futuro, e lembro q poderei não estar nele.

Mas sempre existe outra saída. Pra sair de tudo isso. Eu to buscando a minha.

Espero q pelo menos nesse "fingimento" encontre um pouquinho de felicidade. Ou então busque-a de verdade. ;)

Bjus e força

menina disse...

Hain que saudades de você! Não fica tanto tempo assim sem postaar que eu fico preocupaada .-. vem ao menos dizer OI
hehe

Imagino como foi triste pensar o seu futuro assim.. As vezes nos isolamos tanto que o futuro que nos aguarda, seria desse jeito como você pensou.. Sozinha, numa casa sem mais ninguém, independente de qualquer um e ao mesmo tempo dependente de tudo.

Concordo em não desejar isso pra você. Você está certíssima em mudar as coisas que precisam ser ajustadas... tomara que você consiga *-*

Espero que tudo fique bem. Gosto muito de ti.

Super beijoos.

Jessica Winter disse...

Oi! Esse aqui é o meu perfil verdadeiro (da Rose Cassée www.lerosecassee.blogspot.com)
O blog Ana/Mia vai ficar desativado por uns tempos, por isso vou te seguir nesse aqui, que é meu original... Beijos! Força! ♥

Anna Thin . ♥ disse...

Pensar no futuro me assusta, e por isso que faço que nem vc, não penso, nem imagino..

Querida tudo da certo no final eu acredito..

beijos

Bia disse...

Jah fiz essa brincadeira na aula de biologia tbm =]

Quanto ao seu futuro saiba q naum esta sozinha pois vejo o meu futuro igual ao seu...

Butterfly Blue disse...

Eu faco assim...vivo um dia de cada vez sem pensar muito no futuro...acho mais facil..
Beijos e boa semana.

Marcy! disse...

Não procure pelo fundo do poço. Resolva as suas pendências, mas escolha resolver uma por vez, porque se não acaba tudo virando mais loucura e mais confusão.

Abrações.

menina disse...

amouuur sinto falta de você aqui no blog .-.
não sei quando você vai ver isso, mas te deixo um selinho [http://skiny-secrets.blogspot.com/2010/03/selinhos.html]

te adoro.

Cassie disse...

Flor privatizei meu blog. Manda um e-mail para curacassie@gmail.com para que eu possa te enviar um convite
beijão

serena disse...

oi,eu sei que vc nem deve mais lembrar de mim mais a gente costumava conversar no msn,eu desfiz meu blog,e achei que se ficasse sem contato com vcs me sentiria melhor,mais naum me senti,continuei na mesma ou ate pior,bom eu ando fuçando seu blog,faz um tempo,ainda pensava se era melhor escrever pra vc ou naum,mais a verdade é que sinto falta das nossas conversas,pq naum tem mais ninguem com quem eu possa conversar tão abertamente,bom se vc quiser fala cmg me add:evelin_serena@hotmail.com,se naum td bem

bjos
ps:sinto sua falta(lady serena)

Ta disse...

ooi :] não sei se você vai ler esse comentário porque é de uma postagem meio antiga. Mas de qualquer maneira, eu li ele e me identifiquei. Não comigo agora, nesse momento, mas ha algum tempo atrás. Eu pensava exatamente assim. Mas com o tempo eu percebi que não dá - mesmo - para a gente tentar pensar no nosso futuro. A gente pode fantasiar algumas coisas, claro, é normal. Agora, levar isso a sério a gente não pode. Não podemos nos imaginar daqui a dez anos com a cabeça que temos agora. Você se imagina vomitando depois de comer com seu filho: mas quem disse que daqui a dez anos você ainda fará isso? Em primeiro lugar, para ter um filho você precisar encontrar alguém, e talvez esse alguém seja alguém muito especial que te ajude a acabar com isso. Ou um milhão de outras coisas podem acontecer e sua vida mudar completamente. Provavelmente vocÊ acha que isso nunca vai acontecer, mas aí já ansiedade demais e o problema passa a ser outro. A melhor solução, sempre é viver o momento. O agora. Se ele não está bom, temos de pensar no que podemos fazer para ele melhorar. Porque "é na sequencia dos agoras que você existe".

beijos