sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Carta...

Ontem, mechendo em umas coisas (que não devia mecher) aqui em casa, acabei encontrando uma sacola cheia de cartas. Entre elas, cartões que eu dava pro meu pai de aniversário, dias dos pais, desenhos meus do jardim de infância, etc. Achei uma sacola cheia de cartas que minha irmã mandava a ele. Cartões lindos, cartas kilômetricas... comecei a lê-las. E a que mais me chamou a atenção, foi uma de 1991, na época que meu pai conheceu minha mãe e se separou da mãe dela. A carta, que não era nem uma carta e sim um livro de 'revoltas'... 8 páginas, frente e verso... Ali em baixo segue alguns trechos:


28/09/1991 (12:00 noite)

"Oi pai, se é assim que posso te chamar. Sabe, gostaria que isso nunca acontecesse, só que eu estou cansada de me fuder e ficar quieta, por isso resolvi escrever toda a verdade e tudo que eu estou sentindo [...] Todos sabem que ela (minha mãe ¬¬') é biscate, até você, mas você gosta de ser corno e ficar quieto [...] Essa mulher gosta do seu dinheiro e não de você, bem feito pra você, escolheu tanto que saiu escolhido. O amor que eu sentia por você já não é o mesmo, pois você mesmo destruiu ele, você disse que eu iria fazer minha mãe chorar lágrimas de sangue só que quem fez isso foi você, que fez eu e meus irmãos chorarem essas lágrimas tão sujas de revolta e de vergonha. Sabe, minha cabeça está muito confusa, mas eu gostaria que você fosse muito feliz, de coração mesmo, já que você construiu sua felicidade em cima da nossa infelicidade. Até ai tudo bem, só gostaria que você nunca se arrependesse disso, pois aqui se faz aqui se paga [...] Sr. _____, acho que é assim que devo te chamar, pois você nunca foi meu pai, você sempre tacava na minha cara que eu era só filha da minha mãe, eu só gostaria de saber por que você me odeia tanto, mais tudo bem, eu nunca tive pai mesmo, eu não sofro por ter perdido você, pois eu nunca tive [...]

De uma pessoa que te ama e não significa nada pra você."

A próxima carta que li, foi a ultima que ela mandou pro meu pai em setembro de 2005. Pedia desculpas por todas as brigas, dizia que amava muito nós, e também que viria passar férias aqui em janeiro de 2006. Quando foi em novembro, um acidente fez esses planos de férias serem 'esquecidos'.
Depois de ler tudo isso e mais um pouco, eu chorei pacas, igual uma idiota. Não consigo entender por que chorar depois de ler isso, afinal não tem nada a ver com a minha pessoa. Mas, o que mais me abalou em tudo o que li, são apenas as lembranças. Lembranças dolorosas que ficaram e nunca mais irão se apagar de mim, do meu pai.
Toda essa revolta que ela sentia ao escrever a primeira carta, fez eu sentir o mesmo que eu senti quando soube da morte dela. A dor que eu sentia não era minha, e sim do meu pai. Se eu pudesse fazer algo pra ele não sofrer, mais não tinha nada que eu pudesse fazer.
Depois que ela morreu descobri muitos absurdos.
Ela usava drogas.
No ap dela, tinha seringas, cigarros, velas, livros de magia negra. Nunca soube de tudo isso. Imaginem como uma criança de 10 ou 11 anos fosse encarar tudo isso? Tudo o que eu queria por um momento era morrer também. O que meu pai sentiu quando viu todas aquelas coisas? Não sei. Mais seja o que for, ele sentiu muito.

E ficam as duvidas... Como meu pai era? Será mesmo que ele foi tudo o que ela dizia? E minha mãe? Será que ela chegou a ler essa carta? E... por que meu pai guardou essa carta até hoje?


Estou totalmente sem saber o que pensar. Difícil de entender o que está se passando pela minha cabeça nesse momento.


Quando meu pai soube que eu me cortava... ele não falava em outra coisa a não ser "Todo o mal que a sua irmã tinha com ela passou pra você quando ela morreu". Discordo dessa afirmação.

E seja lá o que for... eu só quero mesmo é esquecer tudo.


5 comentários:

Marcy! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Complexa disse...

Como é a 1ª vez que estou comentando, prefiro não comentar sobre coisas tão pessoal!
Só tenho a dizer:"acredite em você!"
forças!
;*

Aline disse...

Não me julgo no direito de opinar, mas olha.. tem tantas formas de emagrecer saudavelmente.... E se você diz que está uma orca, não sabe o que é pesar 108 kg... Penso que uma ajuda profissional seria bom no seu caso....

Beijos

Duda disse...

=/

Anônimo disse...